COMIDA
30/12/2018 08:29 -02 | Atualizado 30/12/2018 08:29 -02

Ressaca de champanhe: veja como não se arrepender do Réveillon

Ciência explica o que muitos já comprovaram na prática - bebida é uma das que mais te deixa mal no dia seguinte.

Como o álcool é diurético, ele causa desidratação quando consumido em excesso.
mediaphotos via Getty Images
Como o álcool é diurético, ele causa desidratação quando consumido em excesso.

Só quem já teve ressaca causada por champanhe sabe quão perigosa pode ser uma noite regada a borbulhas.

De fato, exagerar na bebida pode causar uma terrível dor de cabeça, náusea, cansaço e outros sintomas típicos da ressaca do dia seguinte. Porém, como muitas pessoas já comprovaram na prática, especialistas afirmam que o mal-estar causado pelo consumo exagerado de champanhe é pior do que com outras bebidas alcoólicas - e a culpa, quem diria, é das bolhinhas.

Segundo Boris Tabakoff, professor de farmacologia da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, é o gás da bebida que faz com que o álcool seja absorvido rapidamente pela corrente sanguínea. "O dióxido de carbono de frisantes como champanhe ajuda a absorver mais rápido o álcool", disse ao site ABC News.

A pressão criada pelas bolhas abre a chamada "válvula pilórica" do nosso estômago (válvula que não permite a passagem do que está no estômago para o intestino), e mais álcool é liberado do estômago para os intestinos, onde grande parte do álcool é absorvida. Em outras palavras, as bolhinhas te deixam bêbado mais rápido.

Tabakoff alerta que o champanhe pode ser mais rápido para te embebedar, inclusive, do que outras bebidas parecidas, como prosecco ou cava (tipo de vinho espumante) - e é por isso que a ressaca é pior com o primeiro.

Já o professor Roger Corder da Barts, da London School of Medicine e autor do livro Wine Diet, lembra que espumantes, assim como cervejas, destilados e outros vinhos, contêm produtos químicos além do álcool, que afetam o funcionamento do corpo e podem até ser tóxicos para algumas pessoas ou dependendo da marca da bebida.

Ele concorda que algumas bebidas dão mais ressaca do que outras, mas dá uma dica de como identificá-las: quanto mais barato for a bebida alcoólica, maior a chance de ter dor de cabeça no dia seguinte. "Os vinhos mais baratos muitas vezes têm todo tipo resíduos e eles dão ressacas terríveis", disse ao The Guardian.

O que é a ressaca, afinal?

Como o álcool é diurético, ele causa desidratação quando consumido em excesso. No dia seguinte, os sintomas de desidratação do corpo são boca seca, dor de cabeça, redução da concentração e irritabilidade.

Ao mesmo tempo, os níveis de açúcar no sangue caem porque o corpo produz muita insulina em resposta à alta concentração de álcool no sangue. Isso contribui também para os sintomas da ressaca, e com o passar dos anos, tudo tende a piorar.

O álcool também irrita o estômago e piora a qualidade do sono, o que causa cansaço e até náuseas no dia seguinte.

Portanto, a melhor maneira de evitar a temida ressaca é se hidratar entre um drink e outro. Tente beber água e nunca consuma álcool de estômago vazio. Também estabeleça um limite: não misture diferentes bebidas alcoólicas, limite seus drinks ou estabeleça um horário para deixar de beber - mesmo com todos os macetes já inventados para evitar ressaca, a moderação continua sendo sua melhor aliada no dia seguinte.