NOTÍCIAS
08/01/2019 19:18 -02 | Atualizado 08/01/2019 19:18 -02

As reações (sinceras) de apoiadores de Bolsonaro à promoção do filho de Mourão

Teve até quem deixasse alguns conselhos para o vice. Seu filho teve o salário triplicado ao se tornar assessor do novo presidente do BB.

Antonio Hamilton Rossell Mourão recebia cerca de R$ 12 mil por mês como assessor na área de agronegócio do BB. Passará a ganhar R$ 36 mil.
Reuters
Antonio Hamilton Rossell Mourão recebia cerca de R$ 12 mil por mês como assessor na área de agronegócio do BB. Passará a ganhar R$ 36 mil.

Para alguns usuários do Twitter, a justificativa do vice-presidente general Mourão sobre o mérito e a promoção do seu filho simplesmente não funcionou.

A notícia publicada nesta terça-feira (8) de que Antonio Hamilton Rossell Mourão foi promovido a assessor especial do novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, e teve seu salário triplicado, preocupou parte dos defensores do novo governo.

Eles consideraram a promoção "argumento para a oposição" e defenderam que seria "prudente" ter evitado a "fadiga" da gestão de Bolsonaro.

O vice-presidente usou a sua conta oficial do Twitter para defender o filho.

De acordo com o general, Antonio Hamilton é um profissional de carreira e não teria sido promovido antes porque os governos anteriores "não valorizavam honestidade e competência".

Alguns apoiadores de Bolsonaro, contudo, seguiram não reagindo bem à notícia.

Outros aproveitaram para cobrar o vice-presidente sobre o que ele e Bolsonaro defenderam na campanha.

E teve até quem deixasse um conselho para o general Mourão.

Funcionário de carreira do banco há 18 anos, Antonio Hamilton Rossell Mourão recebia cerca de R$ 12 mil por mês como assessor na área de agronegócio do BB, função que desempenhava havia 11 anos. Agora, no novo posto, seu salário será de cerca de R$ 36 mil por mês.

À Folha de S.Paulo, o presidente do BB defendeu a promoção de Rossell Mourão.

"Antonio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no banco", disse Novaes, por meio de sua assessoria.